Como reconhecer sinais de abusos em crianças ou bebês.

228

Como Reconhecer Sinais de Abuso em Crianças ou Bebês

É um sentimento muito assustador desconfiar que uma criança que você conhece está sendo abusada. Identificar esse fato entre crianças e bebês pode ser difícil, principalmente pela incapacidade dos pequenos de comunicar a situação, seja por não falarem ou por conta do desconforto do ocorrido. Como são ativos e estão se desenvolvendo, distinguir o que é normal e o que indica abuso pode ser algo muito desafiador a eles. Mudanças de comportamento e certos indícios emocionais, no entanto, podem ser sinais de abuso; os físicos nem sempre estão presentes. Ao suspeitar que uma criança está sendo agredida sexualmente, aja entrando em contato com as autoridades.

1-Procurando alterações no comportamento

Verifique se o comportamento da criança mudou repentinamente. É normal que, ao serem abusadas, elas comecem a agir de forma diferente; as que são normalmente ativas e falantes acabam ficando quietas, introvertidas, enquanto as que são mais calmas e gentis podem se tornar agressivas. Geralmente, todas acabam tendo um comportamento mais ansioso.

  • Por exemplo, você poderá notar que o filho do vizinho, que era ativo e cheio de vida, agora aparenta estar com medo de sair de casa e de ir brincar com a sua criança.
  • Até mesmo os bebês podem se comportar de forma diferente, implicando e choramingando constantemente sem qualquer causa aparente.
 

2-Fique atento aos comportamentos que a criança já havia deixado para trás, mas que recentemente voltou a apresentar.

Agressões sexuais podem fazer com que elas se sintam inseguras e comecem a agir como no passado. Por exemplo: a criança já sabe ir ao banheiro e não molhava a cama mais a cama, porém, voltou a encharcá-la, enquanto outra que havia parado de chupar o polegar está novamente fazendo isso.

3-O comportamento de se submeter a tudo ou exigir muita coisa também é um sinal de alerta.

Normalmente, bebês e criancinhas gostam de agradar os adultos e a testar limites. No entanto, ao serem abusadas, elas podem chegar a um dos extremos, obedecendo a todas as ordens ou desafiando e querendo muitas coisas.

  • Por exemplo: você está observando um pequeno na creche, e nota que ele fica irritado em todas as atividades sempre que um adulto pede para que ele faça algo. É uma razão que pode causar preocupação.

  • 4-Desconfie ao perceber que a criança possui conhecimento sexual muito precoce.

 O desenvolvimento sexual é um processo longo, e certos estágios já se desenvolvem na infância. No entanto, quando um pequeno demonstrar que possui conhecimento avançado em relação ao sexo e fala frequentemente do assunto, é um indício claro de que já sofreu abuso sexual.[9]

LEIA MAIS:  9 TIPOS DE MENSAGENS QUE VOCÊ JAMAIS DEVE ENVIAR PARA UM EX

No entanto, saiba que curiosidade sobre alguns aspectos sexuais (como a diferença entre meninos e meninas) é natural em certas fases;

Ao perceber que um dos amigos de seu filho simula atos sexuais de forma explícita, o fato deve ser investigado, já que é um comportamento incomum

5-Identifique lesões incomuns

Bebês e crianças que estão começando a andar adoram explorar o mundo, e é totalmente normal que acabem sofrendo arranhões ou hematomas em suas “aventuras”. No entanto, ao notar que eles possuem diversas feridas ou machucados mais graves (que não parecem pancadas ou arranhões normais), há possibilidade de que ela está sofrendo agressões.

  • Marcas de pancadas, mordidas, arranhões ou queimaduras que aparentemente foram feitas com um objeto são alguns dos possíveis sinais;
  • Contusões incomuns em bebês e criancinhas também poderão ser evidentes, como olhos roxos;
  • Às vezes, será possível perceber hematomas ou lesões que já estão sumindo, em especial se o jovem ficou alguns dias sem ir à escola ou creche;
  • Ao perguntar a um pai ou cuidador sobre os machucados, o indivíduo poderá dar uma desculpa claramente falsa ou improvável, como “O João se queimou porque quis fazer uma fogueira no quintal!”;
  • Apesar da disciplina física (como as “palmadas” em crianças e adolescentes) não ser considerada abuso, no passado, isso mudou com a instituição da Lei Menino Bernardo, que faz com que os agressores sejam passíveis de punição e medidas (como retirar a guarda do filho).

6-Observe se a criança tem dificuldade em andar ou sentar.

Isso pode ocorrer após um abuso sexual, que deixa um trauma físico como consequência; às vezes, os pequenos não estarão dispostos a contar que foram agredidos sexualmente. No entanto, verifique se há outros indícios, como dificuldade em andar ou sentar corretamente.

Relate suspeitas de abuso imediatamente.

Leve, por exemplo, uma criança ao terapeuta para investigar a causa de alteração no comportamento ou sinais de algum problema; caso a preocupação ocorra com um jovem que não é seu filho ou parente, entre em contato com alguma autoridade (os diretores da creche ou escola, serviços de proteção à criança ou até mesmo a polícia). Diga o porquê de sua preocupação e peça para que investiguem.